Spread Cambial: O Que É e Como Funciona

No mercado cambial, as moedas estrangeiras são compradas e vendidas, permitindo que as empresas e indivíduos realizem transações internacionais e protejam-se contra as variações cambiais.

No entanto, ao realizar operações de câmbio, é comum deparar-se com o termo “spread cambial”.

Mas afinal, o que é spread cambial e como ele funciona?

O Que é Spread Cambial?

O spread cambial é a diferença entre o preço de compra (ask) e o preço de venda (bid) de uma moeda estrangeira no mercado cambial. Em outras palavras, é o custo que se paga para realizar uma operação de câmbio.

Por exemplo, ao solicitar o câmbio de R$ 1000, se o preço do dólar estiver em R$ 5 por dólar, a instituição financeira (ou casa de câmbio) irá te oferecer R$ 5,05 por dólar. Assim, os 5 centavos a mais pedidos acabam sendo a remuneração da instituição financeira que está intermediando essa transação.

Como Funciona o Spread Cambial?

Quando você precisa comprar uma moeda estrangeira, a corretora ou banco irá oferecer um preço de compra (ask) e um preço de venda (bid). O preço de venda será sempre um pouco menor do que o preço de compra, criando uma diferença entre os dois valores, que é o spread cambial. Essa diferença representa o lucro da instituição financeira.

Por exemplo, se a corretora oferece um preço de compra de 5,00 reais para 1 dólar e um preço de venda de 4,95 reais para 1 dólar, o spread cambial será de 0,05 reais. Isso significa que você terá que pagar 5,00 reais para comprar 1 dólar, mas só receberá 4,95 reais se vender 1 dólar.

Existe spread nas minhas compras internacionais?

O spread cambial de compras internacionais é a taxa cobrada nas transações de compra de moeda estrangeira para realizar compras de produtos ou serviços no exterior.

Esse spread ou taxa cobrada será a diferença entre o valor do câmbio real dado pelo Banco Central e o valor do câmbio cobrado pelo banco ou instituição financeira.

Vamos supor que eu compre um celular por US$ 1.000. E a cotação de dólar comercial para real é exatamente R$ 5,00 por 1 dólar. Se eu converter usando o dólar comercial, eu pagaria R$ 5.000, porém, com o spread da instituição financeira, que vamos supor será de 5%, eu pagaria R$ 5.250 (equivalente a um dólar de R$ 5,25).

Hoje existem cartões internacionais que cobram Spread + IOF que passam dos 6%, especialmente nos grandes bancos. Já se você possuir uma conta internacional (em dólar), essas taxas podem ser bem menores. Uma conta internacional como a conta Nomad, por exemplo, você paga de 1% a 2% de spread e um IOF de 0,38% no câmbio, o que se torna bem vantajoso em comparação com cartões internacionais de outros bancos.

Veja uma comparação de taxas e benefícios entre os cartões de débito pré-pago internacionais de disponíveis!

Quando o spread cambial é cobrado pelo meu banco?

O spread cambial é cobrado sempre que ocorre uma operação de câmbio, seja para compra ou venda de moeda estrangeira.

Ele é aplicado para converter o valor de uma moeda estrangeira para a moeda local, ou vice-versa, em operações de importação, exportação, viagens internacionais, investimentos no exterior, entre outros.

Então ao realizar uma compra internacional por cartão, realizar o câmbio em casas de câmbio, ou até o câmbio realizado, destinado a investimentos em dólar, o spread é aplicado.

Por que existe spread cambial?

Porque esta é a forma de remunerar as instituições financeiras pela intermediação nas operações de câmbio, além de cobrir custos administrativos e riscos associados às variações cambiais.

Existem outras taxas cobradas nas transações internacionais?

Sim, há várias taxas que podem incorrer sobre transações internacionais, que pode variar dependendo do tipo de transação, das instituições envolvidas e dos serviços prestados. Eis algumas das taxas comuns:

Taxa SWIFT (tarifa de envio): Taxa cobrada pelos bancos para enviar dinheiro para o exterior via sistema SWIFT, usado em transações internacionais.

  1. Spread Cambial: Instituições financeiras e casas de câmbio aplicam o spread cambial, que é a diferença entre as taxas de compra e venda de moeda estrangeira. Esta taxa representa sua margem de lucro.
  2. Taxas de Remessa: Ao enviar dinheiro para o exterior, muitas instituições financeiras cobram uma taxa de remessa, que pode ser uma taxa fixa ou um percentual do valor transferido.
  3. Tarifas Bancárias: Além do spread cambial e das taxas de remessa, é comum que as instituições financeiras cobrem tarifas bancárias adicionais, como taxas de processamento, taxas de transferência bancária e outras tarifas administrativas.
  4. Tarifas de Conversão de Moeda: Quando o banco realiza a conversão de moeda, como no caso de compras internacionais com cartões de crédito, eles podem cobrar uma taxa de conversão de moeda, porquê a transação é realizada em uma moeda diferente da moeda de sua conta bancária.
  5. Tarifas de Saque em Caixas Eletrônicos: Alguns bancos aplicam uma tarifa adicional quando você realiza saques em caixas eletrônicos internacionais. Essa tarifa varia de acordo com o banco e a rede de caixas eletrônicos utilizada.

É importante observar que nem todas as instituições financeiras cobram todas essas taxas, e as taxas também podem depender do valor da transação e da localização geográfica.

Existe IOF em transações internacionais?

Sim, há a cobrança de IOF que apesar de não ser uma tarifa ou taxa, é o imposto cobrado pelo governo nessas transações:

IOF: O Imposto de Operações Financeiras (IOF), uma taxa obrigatória cobrada pelo governo brasileiro sobre a conversão de moeda estrangeira para reais e vice-versa.

A alíquota do IOF varia dependendo do tipo de transação, sendo 1,1% para operações de compra de moeda estrangeira e 0,38% para operações de venda de moeda estrangeira. O IOF é o imposto aplicado para controlar o fluxo de capitais e arrecadar receitas para o Estado. Portanto, ao realizar transações de câmbio no Brasil, é fundamental considerar o impacto do IOF no custo total da transação.

Existe mais de um tipo de câmbio?

Câmbio turismo: Utilizado em operações para viagens internacionais e é o câmbio utilizado ao retirar dinheiro em espécie ou usar cartões pré-pagos.

Câmbio Ptax: Taxa média ponderada das negociações do dólar no mercado interbancário, usada em operações de comércio exterior e financeiras.

O câmbio Ptax (e dólar comercial) é mais barato que o câmbio turismo. O câmbio turismo é o câmbio feito em casas de câmbio, por exemplo. Câmbio comercial (ou Ptax) é o realizado em investimentos e transações internacionais.

As contas em dólar e seus respectivos cartões utilizam do câmbio comercial para transações e compras, barateando suas viagens internacionais e investimentos também!

Como enviar dinheiro para o exterior de forma segura:

Bancos: Bancos tradicionais oferecem serviços de remessa ao exterior, mas geralmente cobram taxas mais altas.

Instituições financeiras: Empresas especializadas em remessas internacionais, como fintechs e corretoras, podem oferecer taxas mais competitivas e agilidade nas transferências.

Ao realizar operações de câmbio, fique atento às taxas cobradas, como o spread cambial, e buscar opções que ofereçam custos mais vantajosos e segurança nas transações internacionais. A pesquisa e a comparação entre diferentes instituições financeiras são fundamentais para garantir uma operação eficiente e econômica.

O Spread Cambial Varia ou é sempre o mesmo?

O spread cambial pode variar ao longo do tempo e entre diferentes instituições financeiras devido a vários fatores. Alguns dos principais motivos para essa variação incluem:

Liquidez do Mercado: Pares de moedas mais líquidos tendem a ter spreads menores, pois são mais fáceis de serem negociados.

Volatilidade do Mercado: Em momentos de alta volatilidade, como em eventos econômicos importantes, o spread cambial pode aumentar para refletir o maior risco no mercado.

Políticas da Instituição Financeira: Cada corretora ou banco pode estabelecer suas próprias políticas em relação ao spread cambial.

Tamanho da Transação: Transações maiores podem ter spreads menores, já que as instituições financeiras buscam incentivar negociações de maior volume.

Conclusão

O spread cambial é uma parte essencial do mercado cambial e impacta diretamente o custo das operações de câmbio. Ao compreender o que é spread cambial e como ele funciona, os investidores podem tomar decisões mais informadas ao realizar transações internacionais. Compare os spreads oferecidos por diferentes instituições financeiras para encontrar a opção mais vantajosa para suas necessidades.

Similar Posts